Isentos do mal?

Óh, sublime divindade.
Posto que a nós os humanos, não cabe sequer a intenção de censurar-vos; entendemos pois, nossa incapacidade em compreender: por quê a tantos prodigalizas a estupidez, enquanto a poucos, desse predicado a escassez.

4 comentários:

  1. Por Sônia Bruno:o livre arbítrio nada mais é que a vontade de Deus, pois só Ele é eternamente livre, feliz.
    A Verdade é livre em perfeita Unicidade e União.
    Esta liberdade é uma característica do Espírito: da Criação Eterna.
    Deus é Luz, é Uno.
    A dualidade é ilusão do ego,e surgiu com a "queda da Graça".
    Ninguém pode servir a dois senhores: a voz do ego e a voz interior do Espírito.
    Precisamos deixar de lado a voz do ego e nos alinharmos por inteiro com a Voz Divina.
    Ao contemplarmos a Verdadeira Identidade em Deus, que é imutável e intemporal, percebemos que a verdade é agora,o presente momento, livre de todas as proibições e limitações ilusórias.

    ResponderExcluir
  2. Maria Elisa Pereira28 de agosto de 2011 23:34

    LIVRE ARBÍTRIO!
    SERÁ QUE O HOMEM SABE MESMO A PROFUNDIDADE DESSAS PALAVRAS?
    SERÁ QUE ESTAMOS LIVRE O SUFICIENTE PARA SABERMOS ESCOLHER O QUE NOS É PRECISO OU O QUE NOS É LÍCITO?

    mELISA 28/08/2011

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo... O grande dilema: fazer bom uso do livre-arbítrio...escolher o que nos cabe por dever ou o que é mais leve, mais suave? O que, de verdade, nos dá prazer e alegria ou nos limita às más tendências? Muitaaaaasssss coisas a serem refletidas

    ResponderExcluir
  4. É mais fácil nossos pés,caminharem por sobre uma ponte,do que por uma pinguela.A pinguela exige equilíbrio perfeito.
    Cada um escolhe o que melhor lhe aprouver.
    Ouça tem quem ouvidos...
    Veja quem tem olhos...
    Poucos são os escolhidos.

    ResponderExcluir

Páginas